.

Últimas notícias de João Pessoa e todo o estado da PB. Acompanhe informações de trânsito, tempo, agenda cultural, telejornais e coberturas especiais da TV Cabo Branco e TV Paraíba

  1. Ivandro faleceu em casa, de falência múltipla dos órgãos. Velório e sepultamento aconteceram no Parque Santo da Paz, na tarde deste sábado. Sepultamento do corpo do ex-senador Ivandro Cunha Lima, em Campina Grande Lídice Pegado / TV Paraíba O corpo do ex-senador Ivandro Cunha Lima foi sepultado no fim da tarde deste sábado (28), em um cemitério de Campina Grande. A morte, causada por falência múltipla dos órgãos, aconteceu em casa. Ivandro tinha 92 anos e havia aniversariado há dois dias, na última quinta-feira (26). O velório do ex-senador começou no início da tarde e o sepultamento ocorreu às 17h, no Campo Santo Parque da Paz, também em Campina Grande. Um dos filhos do ex-senador, Ivandro Cunha Lima Filho, morreu em abril durante o tratamento de sequelas da Covid-19. O ex-político era avô do atual prefeito da cidade, Bruno Cunha Lima. Nas redes sociais, ele deixou uma mensagem de despedida. "Meu avô. Meu pai. Meu amigo. Meu professor. Meu mentor. Meu guia. Meu exemplo", escreveu Bruno. O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), lamentou pela morte de Ivandro e decretou luto oficial de três dias. Já o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), afirmou nas redes sociais que recebeu "com tristeza a notícia da morte do amigo e paraibano ilustre". Ex-senador da Paraíba Ivandro Cunha Lima Divulgação Vida política Ivandro Cunha Lima foi advogado e tabelião. A carreira política dele começou ainda nos movimentos estudantis. No ano de 1974, ele foi eleito suplente de senador e assumiu o mandato em 1977. Já em 1982, quando terminou o mandato de senador, Ivandro iniciou sua campanha para a Câmara Federal, desistindo durante a campanha. Em 1994, Ivandro se reelegeu e ocupou novamente uma vaga no Senado. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  2. Ivandro morreu neste sábado, aos 92 anos, em Campina Grande. Ex-senador da Paraíba Ivandro Cunha Lima Divulgação O ex-senador da Paraíba, Ivandro Cunha Lima, morreu neste sábado (28), em Campina Grande. Ele tinha 92 anos e era avô do atual prefeito da cidade, Bruno Cunha Lima. Políticos do estado lamentaram a morte dele em publicações e comunicados oficiais nas redes sociais. O atual governador do estado, João Azevedo, decretou luto oficial de três dias na Paraíba. “Quero lamentar o falecimento do ex-senador Ivandro Cunha Lima. A Paraíba perde um grande homem público, que deixa um legado construído ao longo dos seus 92 anos de vida”, publicou o governador em seu perfil do twitter em solidariedade aos familiares e amigos. Cícero Lucena, prefeito de João Pessoa, lamentou a morte do amigo em publicação no instagram. “Recebi com tristeza a notícia da morte do meu amigo, paraibano ilustre, o ex-senador da República, Ivandro Cunha Lima. Homem de coração generoso e bondoso, Ivandro deixa um legado de respeito e integridade por onde passou. Tive a felicidade de conviver com ele por muitos anos, sempre ouvindo seus ensinamentos e vendo suas práticas”, escreveu ao desejar sentimentos a familiares e amigos do ex-senador. A Câmara Municipal de João Pessoa publicou nota de pesar pela morte do ex-senador. “A Paraíba inteira está de luto. Perdemos hoje um grande paraibano, o ex-senador Ivandro Cunha Lima, remanescente de uma geração de grandes políticos do nosso Estado”. Desejaram solidariedade à família e aos amigos do Ivandro Cunha Lima, os senadores Veneziano Vital, Nilda Gondim e Daniella Ribeiro, em publicações em seus perfis oficiais. Lamentaram em seus perfis do instagram, o deputado federal Ruy Carneiro e o deputado estadual Tovar Correia Lima, falando sobre a carreira política e vida pessoal do ex-senador. Os deputados estaduais, Rafaela Camaraense, Camila Toscano, Jutay Menezes e o deputado federal Leonardo Gadelha também deixaram mensagens de luto. O velório teve inicio no começo desta tarde e o corpo do ex-senador será sepultado às 17h, no Campo Santo Parque da Paz. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  3. Este sábado (28) é o Dia Internacional da Luta Contra a Mortalidade Materna. Paraíba registra a segunda menor taxa de mortalidade do Nordeste em 2022. Jéssica foi internada na maternidade Frei Damião um dia após esta foto, no dia 19 de outubro de 2020. Ela deu à luz a Bryan, mas os médicos informaram que eles não chegaram a se conhecer. Arquivo pessoal “Ela sempre fez o pré natal bem direitinho”, relembra Jucinara Fernandes, irmã de Jéssica Fernandes, que está entre as 54 mortes maternas registradas na Paraíba em 2020. Ela era nutricionista e estava grávida de 8 meses quando foi diagnosticada com Covid-19. Jéssica deu entrada na maternidade Frei Damião no dia 19 de outubro, deu à luz a Bryan já no dia seguinte e, após 19 dias internada, faleceu devido às complicações da doença. Sua irmã, Jucinara Fernandes, adotou o bebê Bryan, que hoje está com 1 ano e sete meses: “Já me perguntaram um milhão de vezes, ‘você não tem medo dele achar que foi por causa dele que ela morreu?’, mas não vou deixar nenhuma dúvida, não foi por causa dele”, diz Jucinara. Jéssica Fernandes e seu esposo, pai de Bryan. Arquivo pessoal Grávidas e puérperas foram incluídas pelo Ministério da Saúde como grupo de risco da Covid-19. A pandemia fez com que a Paraíba saltasse de 36 mortes maternas em 2019, para 54 em 2020 e 72 em 2021. Jéssica Fernandes não possuía comorbidades e sempre realizou todos os exames relacionados a sua gravidez que foram solicitados pela médica. “Antes da Covid ela era normal de saúde, não tinha hipertensão, não sentia nada. Um dia ela sentiu dor e febre, foi pro médico e descobriu esse problema. Primeiro ela fez dois testes e deu negativo, mas no terceiro deu positivo. Ela mal saia de casa, quando saia era de máscara. Ela era fisioterapeuta, sabia todos os riscos que corria”, diz Jucinara Fernandes, irmã de Jéssica. “Como ela sabia, ela evitava. Não tinha contato com muita gente. O esposo dela era farmacêutico, só que ele tinha todo o cuidado quando chegava em casa. Se você me perguntar onde ela pegou ou como foi, não sabemos dizer. Ninguém testou positivo, só ela.” Jucinara perguntou aos médicos se Jéssica chegou a conhecer seu filho Bryan, mas foi informada que eles foram separados sem se verem. “Ela não viu ele, ele não viu ela. Ela passou 19 dias em coma induzido entubada e não teve retorno, infelizmente”, diz Jucinara. Depois disso, a vida de Juciana e sua família mudou completamente: “foi do zero a 100”. Me vi em uma situação de não saber o que fazer, não tinha estrutura. "O mundo da minha mãe e do meu pai acabaram. Eu já tinha um filho pequeno, mas ela era como uma filha pra mim. Com ela, éramos quatro irmãs, todas muito unidas. Ela era a caçula, morou comigo, então eu disse: não vou deixar o bebê dela com ninguém mais. Falei com o esposo dela, pedindo pra trazer Bryan pra cá. Como já tem um berço, ele fica. Ele perguntou: e seu trabalho? Eu respondi que não trabalho mais, meu trabalho agora é cuidar de Bryan”, diz Jucinara Fernandes, que se emociona ao falar da irmã: “não sei se um dia vou superar” . Jéssica ao lado de suas três irmãs. Arquivo pessoal “Bryan é minha vida. Ele é um pedaço de mim, não saiu de mim, mas ele é tudo pra mim. É um filho que eu adotei. Nunca pensei em amar tanto uma pessoa que não saiu de mim tanto quanto amo ele.” Jucinara faz questão de falar de Jéssica para Bryan. “Eu faço questão de dizer que a mãe dele é Jéssica. Mamãe Gel, como eu digo. Mostro foto, a gente vai ver a estrelinha e a que mais brilha é a mãe dele, olhando pra ele. Sempre faço questão de mostrar vídeo para ele ouvir a voz dela, ele reconhece. É um dia de cada vez”, diz Jucinara. Hoje Bryan tem um ano e sete meses. Arquivo pessoal Paraíba tem segunda menor taxa de mortalidade materna do Nordeste O índice de mortalidade materna na Paraíba nos últimos dois anos é alarmante. No entanto, no primeiro semestre de 2022, o estado registrou a segunda menor taxa da região do Nordeste. Os dados são do Ministério da Saúde. Mortalidade Materna da região Nordeste Até este mês, foram registradas 8 mortes maternas no estado. Esse número representa uma queda se comparado ao primeiro semestre do ano passado, onde foram registradas 35 mortes. A coordenadora do Estado da Saúde da Mulher, Fátima Moraes, explica que se observou um aumento de mortes maternas significativo com a pandemia. “Quando a gente pega o número de óbitos maternos que ocorreram no mesmo período deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, ano passado, a gente vê uma redução significativa de mais de 70% no número de óbitos ocorridos no mesmo período”, diz a coordenadora. Ana Cristina Nóbrega é fisioterapeuta e trabalha no acompanhamento de gestantes. Ela é doutora em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ela explica que os estudos são unânimes quanto ao perfil das vítimas. “As pesquisas repetem dados, a situação repete a tragédia. São mulheres negras ou pardas, com baixa escolaridade e solteiras que fazem parte do perfil de mortalidade materna no estado da Paraíba”, diz a pesquisadora. Hipertensão é a principal causa da mortalidade materna As doenças hipertensivas continuam vitimando e liderando as mortes maternas. “Normalmente as mortes decorrentes de complicações obstétricas ocorridas durante a gravidez, parto ou puerpério são evitáveis e, muitas vezes, são desencadeadas por assistência inadequada à mulher ou agravamento de alguma complicação já presente nessa grávida durante o ciclo gravídico puerperal. No Brasil, como também, em vários estados, como a Paraíba, observa-se nas pesquisas que os distúrbios hipertensivos da gestação, sangramentos e infecções são as causas mais comuns das mortes durante o período gravídico puerperal”, diz a pesquisadora Ana Cristina Nóbrega. A fisioterapeuta nota que, de fato, há redução no número de casos no primeiro semestre de 2022 em comparação ao mesmo período de 2021 na Paraíba. Mas chama atenção para o fato de que, na sua prática como pesquisadora dessa área, ela sempre teve dificuldades em coletar dados. “Às vezes faltava uma informação na Declaração de Óbito (DO) de um dado que é imprescindível para planejar medidas e adotar estratégias”, diz a pesquisadora. “Para que o número de mortes chegue a “zero” é importante a notificação melhor dos dados e adotar estratégias que possam contribuir para melhora da qualidade de vida dessas mulheres durante a gestação, parto e puerpério. Nós, pesquisadores e profissionais da saúde, somos responsáveis pela saúde das mesmas. É preciso fazer uso dos dados para transformá-las em ações concretas”, diz Ana Cristina Nóbrega. Diante do cenário de mortalidade materna, a pesquisadora destaca a importância da assistência ‘Pré-Natal’, que é destinada às mulheres grávidas. “Esses cuidados requisitam empenho de todos os profissionais da saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, fisioterapeutas, dentre outros, com fins de repassar informações educativas e preventivas assegurando o desenvolvimento de uma gravidez da forma mais saudável possível, evitando assim, um desfecho trágico para famílias e profissionais envolvidos". Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  4. Outra família ficou desabrigada após desabamento de casa. Quintal de casa alagado após chuvas em Campina Grande TV Paraíba/Reprodução As fortes e longas chuvas que caíram em Campina Grande entre a noite da sexta-feira (27) e a madrugada deste sábado (28) deixaram 14 famílias desalojadas. Todos são moradoras do bairro Novo Horizonte e tiveram as casas interditadas pela Defesa Civil por causa dos riscos de acidentes. Casa desaba em Campina Grande; ninguém se feriu Inmet emite alerta vermelho de acumulado de chuvas para 98 cidades A água invadiu o interior e o quintal das casas, assim como também deixou as ruas alagadas. As famílias passaram a madrugada acordadas tentando salvar objetos e outros pertences pessoais que, na maioria dos casos, foram perdidos. As famílias desalojadas estão temporariamente abrigadas em um restaurante popular desativado, no Distrito dos Mecânicos. Segundo a Defesa Civil, 38 ocorrências relacionadas com as chuvas foram registradas em Campina Grande nas últimas 24 horas. Uma delas foi a do desabamento de uma casa, no bairro Alto Branco. No local, estavam uma mulher e o filho dela. Eles conseguiram deixar a residência antes do desabamento e não se feriram. Ainda conforme a Defesa Civil, os moradores serão atendidos pelo setor de assistência social da prefeitura, que deve providenciar alimentação e roupas. O contato da Defesa Civil, para casos de acidentes causados pela chuva é o 199. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  5. O chef Marcílio Cavalcante ensinou a preparar a receita. Aprenda como fazer receita carpaccio de camarão no chef JPB. Reprodução Tv Cabo Branco O Chef JPB deste sábado (27) trouxe uma receita de carpaccio de camarão, preparada em de um restaurante recém inaugurado, ‘Moman Restaurante’, no Jardim Oceania, em João Pessoa. O chef do restaurante, Marcílio Cavalcante, dá detalhes da receita. Ingredientes 150g de filé de camarão grande 1 maçã verde 1 cebola roxa Salsa a gosto Azeite extra virgem Suco de 1 limão taiti e raspas de limão Sal a gosto Lascas de parmesão Molho 30g mostarda dijon 10g mostarda ancienne 20g mostarda amarela 30ml azeite 20g alcaparras Modo de preparo Branquear o camarão em água fervente e reservar. Cortar maçã em cubos pequenos. Cortar cebola roxa em brunoise. Picar a salsa. Junte a cebola, a maçã, a salsa, o suco de limão, o sal e o azeite para fazer o vinagrete de maçã. Reserve. Corte o camarão ao meio no sentido longitudinal, ao comprido. Molho Junte a mostarda dijon, a mostarda amarela, as alcaparras, o azeite e bata com auxílio de um mixer ou liquidificador até formar uma mistura homogênea. Finalize com a mostarda anciene e não bata mais. Montagem Coloque o camarão forrando o prato, tempere com um pouco de sal e azeite. Faça pontos com o molho de mostarda em cima de cada camarão e coloque um pouco de vinagrete de maçã temperando cada lâmina de camarão. Finalize com lascas de parmesão. Decore com brotos e sirva com fatias de pães tostado ou torradas. Aprenda como fazer receita de carpaccio de camarão no Chef JPB Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  6. Corpo do ex-senador será sepultado no fim da tarde, às 17h, no Campo Santo Parque da Paz. Ex-senador da Paraíba Ivandro Cunha Lima Divulgação Morreu na manhã deste sábado (28), em Campina Grande, o ex-senador da Paraíba Ivandro Cunha Lima. A morte, causada por falência múltipla dos órgãos, aconteceu em casa. Morre empresário Ivandro Cunha Lima Filho Ivandro tinha 92 anos e havia aniversariado há dois dias, na última quinta-feira (26). O velório do ex-senador começou no início da tarde e o sepultamento está previsto para 17h, no Campo Santo Parque da Paz. Um dos filhos do ex-senador, Ivandro Cunha Lima Filho, morreu em abril durante o tratamento de sequelas da Covid-19. O ex-político era avô do atual prefeito da cidade, Bruno Cunha Lima. Nas redes sociais, ele deixou uma mensagem de despedida. "Meu avô. Meu pai. Meu amigo. Meu professor. Meu mentor. Meu guia. Meu exemplo", escreveu Bruno. O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), lamentou pela morte de Ivandro e decretou luto oficial de três dias. Já o prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena (PP), afirmou nas redes sociais que recebeu "com tristeza a notícia da morte do amigo e paraibano ilustre". Vida política Ivandro Cunha Lima foi advogado e tabelião. A carreira política dele começou ainda nos movimentos estudantis. No ano de 1974, ele foi eleito suplente de senador e assumiu o mandato em 1977. Já em 1982, quando terminou o mandato de senador, Ivandro iniciou sua campanha para a Câmara Federal, desistindo durante a campanha. Em 1994, Ivandro se reelegeu e ocupou novamente uma vaga no Senado. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  7. Ações de imunização acontecem no Terminal de Integração, no Centro; e na Esac, no Centro. Campina Grande denuncia venda de cartões de vacinação contra a Covid-19 Reprodução/Codecom Campina Grande vacina a população contra Covid-19, neste sábado (28), todo o público apto para imunização. A Secretaria Municipal de Saúde aplica a primeira dose em adolescentes acima de 12 anos de idade e adultos retardatários, além da imunização referente às segundas doses e aplicação da dose de reforço em pessoas acima de 18 anos e trabalhadores da saúde que receberam a segunda dose há quatro meses, e também a dose de reforço do imunizante Janssen. No caso dos imunossuprimidos, a dose de reforço está sendo aplicada para aqueles que receberam a segunda dose já pelo menos 28 dias, e a quarta dose para os imunossuprimidos que receberam a dose de reforço há pelo menos quatro meses. A vacinação ocorre apenas no turno da manhã, até 12h. No momento da vacinação, é necessário apresentar comprovante de residência, documento de identificação pessoal e o cartão de vacinação. Para quem tiver agendado o recebimento da vacina, também devem levar o comprovante de agendamento. Locais de vacinação neste sábado em Campina Grande Até 12h Terminal de Integração - Centro Esac - Catolé Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  8. Acidente aconteceu quando os moradores do local, uma mulher e o filho dela, dormiam. Escombros por trás de janela de casa que desabou em Campina Grande Gabriel Queiroz/TV Paraíba Parte de uma casa desabou na madrugada deste sábado (28), no bairro Alto Branco, em Campina Grande. O acidente aconteceu quando os moradores do local, uma mulher e o filho dela, dormiam. Casa desaba e idoso fica ferido embaixo dos escombros Como ouviram alguns barulhos que alertaram sobre o desabamento, as vítimas conseguiram sair de casa e levaram o cachorro de estimação com eles. Ninguém se feriu.. As paredes de dentro do imóvel caíram e, logo depois, o teto. Já a parte de fora tem rachaduras. As vítimas moravam na casa há 37 anos. O local tinha uma parte construída de alvenaria e outra com barro e pedaços de madeira. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o local foi isolado. Os socorristas alertaram que se algum morador perceber barulhos na estrutura de onde mora, deve deixar o imóvel. Já na manhã da sexta-feira (27), outra casa desabou por cima de um idoso em Campina Grande. Ele foi socorrido e teve ferimentos leves. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  9. São ofertadas 105 vagas, para variadas funções, com remuneração variando entre R$ 1.212,00 e R$ 1.500. Hospital Metropolitano de Santa Rita, PB Divulgação/Secom-PB O prazo de inscrições para o processo seletivo de contratação temporária de profissionais para atuarem na Fundação Paraibana de Gestão em Saúde (Fundação PB Saúde), que se encerraria neste domingo (29), foi adiado para o dia 31 de maio. As inscrições e o envio de documentação comprobatória para as provas de títulos e experiência profissional devem ser realizadas pela internet e estão abertas até as 23h59 do dia 31, com 105 vagas e mais 936 vagas em formação de cadastro reserva. Confira o edital Faça sua inscrição O processo seletivo vai acontecer com a aplicação de prova objetiva, prova de títulos e experiência profissional, e terá validade de 12 meses. Segundo o edital, a contratação é por tempo determinado, visando atender necessidade temporária de interesse público. Há vagas para os níveis técnico, médio e superior, com remuneração que varia de R$ 1.212,00 e R$ 1.500,00. Parte da quantidade total de vagas (5%) é destinada a Pessoas com Deficiência (PCD), e também há cadastro reserva. Ainda conforme o edital, a remuneração varia a depender da carga horária de trabalho, que muda de acordo com a função. As vagas para contratação, dispostas em edital, são para as funções de auxiliar de farmácia, auxiliar de manutenção predial, estoquista, instrumentação em cirurgia cardiológica, instrumentação em cirurgia neurológica, técnico de enfermagem, técnico de equipamento médico hospitalar, técnico de manutenção hidráulica, enfermeiro, perfusionista, médico (cirurgia cardiovascular, cirurgia torácica, cirurgia pediátrica, anestesiologia, arritmologia, cardiologia [especialidade em ecocardiologia e intervencionista], medicina intensiva adulto e pediátrica, radiologia, neurocirurgia, neurorradiologia e cirurgia geral). A divulgação dos locais de prova e inscritos acontecerá no dia 2 de junho, e as provas acontecem no dia 5 de junho. O resultado final deve ser divulgado no dia 9 de junho. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

  10. Existe grande risco de alagamentos e transbordamentos de rios e grandes deslizamentos de encostas. Inmet emite alerta vermelho de acumulado de chuvas para João Pessoa, Campina Grande e mais 96 cidades Inmet/Reprodução O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu, neste sábado (28), um alerta vermelho de grande perigo de acumulado de chuvas para João Pessoa, Campina Grande e mais 96 cidades da Paraíba. O aviso é válido até as 10h do domingo (29). (Veja lista completa dos municípios no fim da matéria). João Pessoa registra mais de 100 mm de chuvas em 12 horas De acordo com o alerta, pode chover mais de 60 mm/h ou mais de 100 mm/dia e ventos superiores a 100 km/h. Existe grande risco de alagamentos e transbordamentos de rios e grandes deslizamentos de encostas. O órgão orienta aos moradores que desligue aparelhos elétricos e quadro geral de energia e, em caso de enxurrada ou similar, coloque documentos e objetos de valor em sacos plásticos. Em caso de situação de grande perigo confirmada, os moradores devem procurar abrigo e evitar permanecer ao ar livre. Cidades em alerta de grande perigo de acumulado de chuvas Alagoa Grande Alagoa Nova Alagoinha Alcantil Algodão de Jandaíra Alhandra Araçagi Arara Araruna Areia Areial Aroeiras Baía da Traição Bananeiras Barra de Santana Barra de Santa Rosa Barra de São Miguel Bayeux Belém Boa Vista Boqueirão Borborema Caaporã Cabaceiras Cabedelo Cacimba de Dentro Caiçara Caldas Brandão Campina Grande Capim Casserengue Caturité Conde Cruz do Espírito Santo Cuité Cuité de Mamanguape Cuitegi Curral de Cima Damião Dona Inês Duas Estradas Esperança Fagundes Gado Bravo Guarabira Gurinhém Ingá Itabaiana Itapororoca Itatuba Jacaraú João Pessoa Juarez Távora Juripiranga Lagoa de Dentro Lagoa Seca Logradouro Lucena Mamanguape Marcação Mari Massaranduba Mataraca Matinhas Mogeiro Montadas Mulungu Natuba Pedras de Fogo Pedro Régis Pilar Pilões Pilõezinhos Pirpirituba Pitimbu Pocinhos Puxinanã Queimadas Remígio Riachão do Bacamarte Riachão do Poço Riacho de Santo Antônio Rio Tinto Salgado de São Félix Santa Cecília Santa Rita São José dos Ramos São Miguel de Taipu São Sebastião de Lagoa de Roça Sapé Serra da Raiz Serra Redonda Serraria Sertãozinho Sobrado Solânea Tacima Umbuzeiro Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba

On-Line

Temos 101 visitantes e Nenhum membro online

Previsão do Tempo

Facebook

Template Settings
Select color sample for all parameters
Red Green Blue Gray
Background Color
Text Color
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Scroll to top